O que significa desapegar-se do passado e estar aberto ao futuro?

No meu modo de entender o tema, a vida está exigindo de todos nós, e principalmente daqueles que ocupam posições de liderança, uma atitude diferente perante aos desafios que a vida tem oferecido.

Vamos imaginar que você seja o Head de uma empresa de tecnologia que tenha uma atividade-meio, ou seja, que soluciona problemas de clientes que trabalham para outros clientes. Você possui uma equipe muito jovem e criativa que efetivamente consegue criar e propor novas soluções que fazem a diferença na vida destes seus clientes diretos e dos indiretos também (clientes desses clientes). 

Antes da pandemia, existia uma união entre os membros da equipe e uma troca de informações que fluía naturalmente. Porém, com o início da pandemia e com as mudanças pelas quais eles e seus respectivos clientes passaram e estão passando, você, o executivo principal dessa organização, percebeu que os seus líderes estavam com dificuldade em abandonar o cenário passado e aprender com o novo. 

Então você decidiu entender esse problema mais de perto junto aos líderes da sua empresa. Você precisou usar de inteligência emocional, escuta ativa e cooperação para juntos lidarem com a situação.

Neste processo, vocês perceberam que tiveram problemas com seus diferentes “stakeholders” e, em uma análise mais estruturada e profunda, identificaram que precisavam desenvolver diferentes competências para poder lidar com as novas situações apresentadas.

O pensamento crítico foi uma delas, porque as pessoas estavam apegadas à forma de trabalho e entrega anterior e tinham dificuldade de pensar combinando informações, experiências, observações e até de usar a imaginação. Eles, que tinham tanta facilidade de estabelecer boas conexões com os colegas da empresa e de outros mercados, ficaram “congelados” e sem muita flexibilidade de ação. Claro que estavam assustados com o cenário de crise, com medo de perder o emprego e até de morrer. Quando “esse bloqueio” veio para a consciência, foi possível encontrar de forma consciente soluções que os ajudaram a recuperar a tranquilidade interna e desta forma passaram a transformar os problemas e as necessidades dos clientes em soluções criativas, efetivas e com valor agregado.

Este exemplo nos ajuda a perceber que é preciso dedicar tempo de forma estruturada e aberta para lidar com situações que antes não faziam parte do dia a dia deste grupo.

Por isso, o líder precisa desenvolver a sua habilidade de resolver problemas complexos, de usar a empatia e sensibilidade para garantir que sua equipe possa ter todo o suporte necessário para lidar com novas situações para ter sucesso neste novo cenário de mundo que estamos vivendo.

E você, quais são os desafios que tem enfrentado e que estão exigindo de você novas habilidades e atitudes?

Você tem conseguido dedicar tempo para seus autoconhecimento e autodesenvolvimento para poder atuar de maneira mais segura e assertiva frente a esses desafios?

E o que você escolhe fazer para criar espaço na sua agenda para refletir sobre o tema? 

Me envie sua dúvida, terei o maior prazer em compartilhar minhas ideias e experiências com você.

Te vejo no próximo artigo.

Marcia Sales Longaretti

Me siga no instagram: https://www.instagram.com/marciasaleslongaretti/
Junte-se ao meu canal Minuto da Pausa no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCOt_p3bRaSRLOX0gVh6OEJQ