Liderar em momentos de crise

Estamos vivendo um período de crise global, em especial no Brasil, o que nos tem feito repensar na forma de agir e de gerir os negócios e nossas equipes.

E para os líderes esse momento é ainda mais importante, porque temos pessoas e suas famílias que dependem de nós, das nossas decisões e direção.

Precisamos primeiramente refletir a fundo sobre nossos valores e nos de nossas empresas. Aqueles valores que são muito importantes para nós e não queremos e não podemos abrir mão deles.

São os valores que regem os nossos comportamentos e são os nossos comportamentos que refletem e que podem inspirar ou não as nossas equipes.

Os nossos valores e as nossas condutas podem manter ou destruir a moral do time, principalmente num período como esse, porque estamos todos atentos ao que vai acontecer. Todos temos preocupações básicas, como por exemplo o da nossa sobrevivência e a de nossas famílias.

Isso significa que em momento de recessão e crise como o que estamos vivendo, algumas decisões difíceis precisarão ser tomadas.

Muitas vezes, no mundo corporativo, nos vemos frente a situações delicadas de redução de custos e de investimentos, o que inclui muitas vezes demissão de pessoal e corte de verbas para novos projetos. Porém, a forma como lidamos com esses temas e o cuidado com que apresentamos isso para os nossos liderados é fundamental para garantir a moral das pessoas diretamente afetadas e do grupo que permanecerá na organização.

São em momentos como esses que o verdadeiro espírito de liderança aparece e que também identificamos quem são as pessoas com as quais poderemos contar de fato hoje e no futuro, porque em condições normais é mais fácil gerir um negócio, uma equipe ou uma família. Porém, em situações nas quais essas condições estão extremamente alteradas, podemos perceber claramente quem serão os líderes e as equipes que manterão a prosperidade dos nossos negócios.

Como em tudo na vida, o momento de crise também tem o seu lado bom. É nesse momento que podemos transformar a adversidade em oportunidade de sermos mais produtivos, mais assertivos e mais estratégicos.

É nessa fase que também podemos estabelecer alianças estratégicas que nos ajudarão a sair desse momento mais fortalecidos e engajados.

O fato de não termos dinheiro para investir em novos projetos, em novas metodologias e/ou tecnologias, não significa que podemos deixar de lado o desenvolvimento e engajamento das pessoas que estão a nossa volta.

Precisamos buscar formas criativas de estimulá-las, de fortalecê-las e de continuar identificando seus pontos fortes, o que certamente maximizará ainda mais sua performance rumo ao atingimento e superação das metas que foram traçadas para elas e para a organização.

Precisamos liderar pelo exemplo, o que significa encontrar na adversidade oportunidades para fazer os resultados acontecerem.

Outro ponto importante que precisamos cuidar, como líderes, é o da relação de confiança que precisa mais do que nunca estar presente. Porque com tantas notícias de demissões, reestruturações, cortes de verbas etc., certamente as equipes perderão o foco nas suas atividades, compromissos e responsabilidades se o líder não estiver presente apoiando-as e oferecendo a direção.

 

De forma prática, seguem abaixo 5 ações que considero cruciais para o líder nesse momento:

  1. Faça um balanço das atividades, conquistas e resultados até aqui e defina quais serão as prioridades para o próximo período, o que implicará em identificar quais serão as 3-5 coisas que precisam ser feitas para que as metas estabelecidas sejam atingidas.
  2. Defina quais são os seus objetivos/metas que como líder vai precisar executar e quais são os objetivos e metas das suas equipes.
  3. Compartilhe com elas de forma clara, objetiva e transparente o que está acontecendo no momento atual e quais serão as estratégias que a empresa e área em que estão inseridas precisarão implementar e seguir.
  4. Compartilhe quais são os objetivos, metas e que atitudes que a empresa espera de cada uma delas. Apresente o que precisa ser feito, como fazer, quem deverá fazer, quais os recursos que estarão disponíveis, quais serão as métricas e os prazos para que cada processo e/ou atividade aconteçam de forma a atingir os resultados desejados.
  5. Reconheça as performances individuais e do grupo, isso os ajudará a saber que estão no caminho certo e que a empresa reconhece todo o empenho e dedicação nesse momento desafiador.

E lembre-se, é nessa hora que o nosso talento como líder precisa estar a serviço das pessoas que estão trabalhando próximas a nós. É nesse momento que precisamos utilizar as nossas habilidades de servir e de fazer a diferença.

Convite para reflexão:

O que você tem feito hoje para transformar esse cenário difícil numa grande oportunidade de desenvolvimento para você e para a sua equipe em busca dos resultados desejados?

Qualquer dúvida, Estou à disposição!

Grande Abraço,

Marcia Sales Longaretti