Como criar um ambiente emocional que favoreça a minha criatividade?

Conforme falamos no artigo anterior, o nosso ambiente físico influencia diretamente na nossa forma de pensar e encontrar soluções para as questões e problemas do nosso dia a dia.

Por isso, quanto mais respeitarmos as nossas necessidades e preferências quanto a este ambiente, melhores e maiores serão as chances de encontrarmos as soluções que estamos buscando.

No entanto, precisamos também de um ambiente emocional que nos permita explorar e expressar todo o nosso potencial criativo.

O curioso é que, normalmente, a gente esquece de pensar que este ambiente está dentro de cada um de nós e que somos nós quem devemos controlá-lo. São os nossos comportamentos, atitudes e sentimentos que calibram e nos ajudam a criar interações positivas e produtivas que tanto favorecem o nosso pensamento criativo.

Como já falamos um pouco no artigo “Você sabia que as suas emoções podem destruir o seu ambiente de trabalho?”, as emoções são contagiosas e a forma como lidamos com elas e também como nos relacionamos com as outras pessoas impacta diretamente no clima e ambiente em que estamos vivendo.

Vamos olhar por uma outra perspectiva, começando a entender o que significa estas três palavras:

Atitude: é aquela “força interna de querer fazer” que nos mobiliza a pensar nas razões e alternativas que nos ajudarão a realizar algo.

Comportamento: é um conjunto de ações que nos levarão a realizar alguma coisa. Esse comportamento está relacionado às interações de uma forma geral.

Sentimento: está ligado a como nos sentimos frente às emoções e aos outros movimentos que acontecem dentro de nós.

Sendo assim, é muito importante a gente refletir sobre como estamos lidando com esses três aspectos que interferem no nosso sucesso e no meio em que estamos inseridos.

Para ajudá-lo nessas reflexões, preparei as seguintes questões:

  • Como está a sua atitude frente ao problema que deseja resolver?
  • Como você interage com outras pessoas? E como constrói ideias com elas?
  • De que forma você encara os problemas do dia a dia? É otimista ou pessimista?
  • Qual é o medo que está te segurando e impedindo que você expresse o seu talento e potencial.

Refletindo nos aspectos acima, talvez seja possível identificar em qual desses a sua criatividade está sendo bloqueada e, com isso, possa buscar alternativas para resolver esses pontos.

Vale reforçar que o pensamento criativo é apenas um passo para se chegar aonde deseja, porque existem outras habilidades que precisam compor o processo como um todo. São elas:

  1. Flexibilidade e abertura para o novo;
  2. Aceitar que nem sempre temos claro todas as informações necessárias no início do processo;
  3. Calma para lidar com diferentes pontos de vista;
  4. Persistência, porque não necessariamente acertamos na primeira vez que tentamos;
  5. Foco, para não nos perdermos no meio dessa jornada e de possíveis obstáculos que possam surgir no meio do caminho.

Espero que essa série tenha sido útil para você entender e colocar em prática o seu potencial criativo.

E, para fechá-la, desejo que você viva o momento presente com muita intensidade, curiosidade, abertura para o novo e também para com outras pessoas. Que o sucesso esteja sempre presente na sua vida!

Nos vemos nos próximos artigos.

Grande abraço,

Marcia Sales Longaretti